Hyldon

As Coisas Simples da Vida

Espetáculo ‘Música Negra Brasileira’ é destaque na programação da TV Brasil

 

Em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra, a TV Brasil apresenta o especial Música Negra Brasileira nesta quinta (20) à meia-noite. Gravado em outubro noCirco Voador, tradicional casa de shows do Rio de Janeiro, o espetáculo tem direção artística do músico Charles Gavin e é conduzido pela cantora Sandra de Sá com vários convidados ilustres. A compositora lembra sucessos como “BR3”, “Que Beleza”, “Sossego” e “Olhos Coloridos” acompanhada por artistas consagrados do porte de Hyldon eTony Tornado, além de talentos da nova geração como Ellen Oléria e B Negão.

Para homenagear Zumbi dos Palmares, representante da resistência e da luta contra o preconceito racial, o show apresenta repertório cheio de suingue, passando por diversos ritmos como o soul, o funk, o samba-rock e o charme. Com cerca de 90 minutos de duração, o programa especial mostra que a música éi um importante veículo de valorização da herança afro-brasileira no país.

O especial Música Negra Brasileira resgata o universo dos bailes black dos anos 1970. Naquela década, artistas como Jorge Ben, Tim Maia, Gilberto Gil e Wilson Simonal cantavam o orgulho de ser negro. A temática e o estilo musical traziam elementos do movimento Black Power americano, assim como de gêneros musicais como o soul, o funk e o reggae.

Anfitriã do espetáculo, Sandra de Sá reflete sobre o racismo e as mudanças na sociedade brasileira em relação ao tema. “Atualmente o brasileiro está ficando mais consciente da sua importância. Está saindo do folclore e aprofundando na cultura”, analisa a cantora que ainda comenta influência africana na cultura nacional.

Ícone da MPB, o cantor, compositor e guitarrista baiano Hyldon exalta a importância de Tim Maia na cena musical brasileira e o seu grito de ‘muitas Áfricas’. “Inesquecível a maneira de ser e a forma de impor sua marca no trabalho. O grito do Tim reúne muitas Áfricas, muito sofrimento O Tim Maia está presente até hoje através de sua música. É muito adorado”, opina Hyldon que também narra um episódio vivido com Wilson Simonal, um dos compositores homenageados no show, junto com Tim Maia, Jorge Ben Jor, Cassiano e Gilberto Gil.

Com 84 anos, o ator e cantor Tony Tornado era um dos mais emocionados durante o espetáculo. O artista aborda a cultura e a vida dos negros no país. Também ressalta a importância do tema para a conscientização social. “A história da população negra é muito bonita, de vitória. Eu acredito no aprendizado. Os jovens devem conhecer essa trajetória. Eu me prontifiquei a participar desse movimento para que os jovens tenham esse conhecimento”, destaca o experiente artista.
Iniciativa multiplataforma

O especial Música Negra Brasileira também é um produto multiplataforma. A partir de quinta-feira (20), em www.ebc.com.br/musicanegrabrasileira será possível acompanhar os bastidores das gravações do programa, uma linha do tempo com as histórias das canções do repertório e o musical na íntegra, além de assistir às entrevistas com os artistas que participam da celebração.

Na página, encontram-se gravações raras com interpretações de músicas sobre a negritude bem como depoimentos de artistas sobre o papel da cultura na valorização da identidade afro-brasileira. O site inclui ainda entrevistas gravadas com o público, momentos antes do musical, em que as pessoas opinam sobre o significado da consciência negra.
Repertório e intérpretes:
Que Beleza; Liberou Geral; Hermes Trismegisto; Ilê ayê (Que Bloco é Esse): Sandra de Sá
Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda; As Dores do Mundo: Hyldon
Sou Negro; Sossego; BR3: Tony Tornado
Essa é pra tocar no baile; Funk até o caroço: B Negão
Zumbi, Pé de meia, Testando: Ellen Oléria
Descobridor do 7 Mares, Joga Fora, Olhos coloridos: todos os cantores

Ficha técnica:
Produtor Executivo: Helio Pitanga
Direção artística: Charles Gavin
Direção: Hamsa Wood
Produção: Bossa Produções
Realização: TV Brasil

Assista aqui

Matéria completa

   

Voltar