Hyldon

As Coisas Simples da Vida

Entrevista para o site Garota FM

 

 

Hyldon: ‘O disco ficou mais forte, sarado, rico melodicamente e, modéstia à parte, swingado’

 
Quatro anos depois do lançamento de “Soul Brasileiro”, seu primeiro disco de inéditas desde 1989, Hyldon lança “Soul Brasileiro Edição Extra” em show no Teatro Rival nesta quinta-feira (05/04), às 19h30, com participações de Dalto e Tunai (R$ 45, R$ 30 para os 200 primeiros pagantes e R$ 22,50 é a meia). O novo disco do soulman que se destacou nos anos 70 com “Na Rua, na Chuva, na Fazenda” traz as mesmas músicas do álbum de 2008, só que reformuladas (Quer ganhar um CD? Leia as instruções depois da entrevista*). “O estúdio onde eu gravei foi todo reformulado, agora tem novos equipamentos, de ponta, e recebi a proposta da Warner Chappell Editora de refazer as vozes e remixar o disco. Aceitei o desafio pois não ficara satisfeito com o resultado”, conta Hyldon ao GarotaFM. Chico Buarque, Zeca Baleiro, Jorge Vercillo, Dalto e todos os outros convidados, que gravaram apenas instrumentos no disco anterior, continuam na nova versão de “Soul Brasileiro”. A novidade é a faixa bônus “Estão Dizendo Por Aí”, com participações sobre as quais Hyldon fala na entrevista a seguir.

Como surgiu a ideia de voltar ao estúdio para fazer ajustes nas mesmas músicas que lançou no disco “Soul Brasileiro”?

O estúdio onde eu gravei foi todo reformulado, agora tem novos equipamentos, de ponta, e recebi a proposta da Warner Chappell Editora (dona do estúdio e onde há anos edito minhas músicas) de refazer as vozes e remixar o disco. Aceitei o desafio pois não ficara satisfeito com o resultado, apesar do disco ter sido super bem recebido pela crítica. Na época do lançamento, por exemplo, a revista Rolling Stone colocou o disco entre os 25 melhores do ano.

Quais foram esses ajustes?

Da parte técnica, microfones novos, interface e compressores novos. Da parte musical… Bem, depois de algum tempo ouvindo o disco friamente, senti falta de um instrumento mais definido para somar com os violões. As músicas têm muitas convenções… em linguagem musical, são aquelas partes que todo mundo toca igual, geralmente nas introduções, no meio e no final. Foi aí que entraram as guitarras. Isso permitiu que subíssemos os volumes de baixo e bateria. Tomei cuidado pra não descaracterizar os originais e, sabe como é, quando estava colocando voz (tive que fazer isso pois os microfones e compressores novos eram maravilhosos) fiz um lance que hoje a galera do hip hop usa muito, que é dobrar a própria voz. Só que eu abrir as vozes colocando vocais onde não tinha antes. Como dizia Che Guevara: “Há que endurecer sem jamais perder a ternura”. Então foi isso. O disco ficou mais forte, sarado, mais rico melodicamente e, modéstia à parte, mais swingado com a entrada das guitarrinhas.

Dá para ver que a ordem das músicas mudou. Nesses quase quatro anos você viu uma nova história sendo contada por essa nova ordem?

Como houve essas alterações, coloquei numa ordem diferente que levasse o ouvinte a “viajar” da primeira a última canção.

O que aconteceu com os convidados que você teve no disco “Soul Brasileiro”?

Todos estão no disco, eu só melhorei os sons na hora de mixagem. Não toquei num fio de cabelo dos meus queridos amigos/convidados. Pelo contrário, o que houve foi a entrada de outros 12 artistas na faixa bônus “Estão Dizendo por Aí”. Gentilmente cedida pela MTV, pra minha alegria chegaram pra compor o time Arnaldo Antunes, Seu Jorge,Céu,Karina Buhr,Gui e Rica Amabis, os meninos do Nação Zumbi (Dengue, Pupillo e Lúcio Maia) e Edgar Scandurra. Foi uma honra dividir o palco com essa galera no Programa Grêmio Recreativo Arnaldo Antunes. E foi dessa gravação ao vivo que saiu um clipe na MTV que fez o maior sucesso e, posteriormente, facilitou a liberação para colocar a música no meu disco.

É perceptível também a presença de novos toques eletrônicos. Por que e como os incluiu?

Ouço muita coisa nova e adorei o último disco do Léo Cavalcanti, meu mais novo parceiro. Isso hoje é uma tendência, os discos do Kassin, da Céu, da Karina Buhr e o exemplo mais recente é o novo da Gal Costa. Outro dia li uma crítica do show do Lenine e o jornalista meteu o pau porque ele estava inserindo esses elementos, depois eu soube que deu um problema técnico, coisas de estreia, mas o cara não quis nem saber: falou mal do cara, do Marcos Suzano (percussionista), que não tinha nada a ver com a história… Mas isso de inserir elementos é uma tendência mundial. No meu caso, usei em doses homeopáticas pra não assustar os conservadores e basicamente continua um disco acústico com violões e muita percussão.

Fale também da mudança na concepção gráfica (capa, foto, fonte da letra)?

Resolvi fazer outra capa pra discernir bem que era o mesmo disco, mas com outra cara e tinha as faixas bônus. Agradeço muito a Agência Guanabara que soube captar o espírito do disco. Fizemos caprichado com um mini poster com todas as informações e incluímos todas as letras.

Fale sobre o clipe “Brazilian Samba Soul”. Quando foi rodado e o que pode dizer dele?

Esse clipe foi um presente que ganhei da minha querida amiga diretora Malu Schroeder , fotografado por José Amarílio Jr e editado por Claudio Barros, com participações especias de Carla Cachoeira (passista), Gil Miranda e Gilce de Paula (vocais), Mc Yasmin (filha), Panmela Castro (grafite). O clipe está rolando na MTV e no Canal Brasil e lá fora também. Vou aproveitar que vou tocar no Rock in Rio Lisboa para fechar alguns contratos de distribuição na Europa. Ah, é bom lembrar que o clipe está no disco como uma faixa multimídia.
*Regulamento do concurso

Primeiro você tem que seguir o GarotaFM no twitter (@GarotaFM). Depois, é só retuitar (RT) a seguinte frase: “Promoção! Dê RT no trecho frase a seguir e ganhe! Eu quero o CD Soul Brasileiro Edição Extra, de Hyldon, retuitando http://kingo.to/134A ” O sorteio será feito através da ferramenta sorteie.me. A promoção vai até sexta-feira (06/04), dia em que o resultado será divulgado, no Twitter do GarotaFM (com informações detalhadas por DM). Depois de divulgado o nome do ganhador, o mesmo deve enviar seu nome completo, RG, e-mail e endereço para envio do álbum. Participe!

   

Voltar