Hyldon

As Coisas Simples da Vida

Simoninha, Léo Maia e Jair Oliveira gravam versão inédita de sucesso ‘Velho Camarada’ | Música – Folha de São Paulo

 
O cantor Wilson Simoninha durante show da Orquestra Saga, no Bar Brahma - Greg Salibian/Folhapress

O cantor Wilson Simoninha durante show da Orquestra Saga, no Bar Brahma – Greg Salibian/Folhapress

O projeto Os Filhos dos Caras; de ​Léo Maia, Jair Oliveira e Simoninha ganha hoje uma nova fase. Pela primeira vez os filhos de Tim Maia (1942-1998), Jair Rodrigues (1939-2014) e Simonal (1938-2000) fazem o registro em estúdio de uma canção. O trio ainda prepara um DVD.

A canção “Velho Camarada”, gravada por Fábio, Tim Maia e Hyldon na década de 1970, ganha uma nova versão na voz do trio. “Escolhemos essa música para iniciar o projeto porque ela é uma das poucas que têm três cantores”, explica Simoninha. ​

O novo arranjo da música, que agrega a regência de uma orquestra, já está disponível nas plataformas digitais. Estamos no processo de criação de músicas inéditas ainda. Vamos decidindo aos poucos o que vai acontecer. Pode ser que mais uma faixa saia em um mês”, afirma Simoninha.

Entre janeiro e março do ano que vem, o trio deve gravar um DVD em São Paulo com músicas de Tim Maia, Jair Rodrigues e Wilson Simonal. O show também tem canções de Simoninha, Jair Oliveira e Léo& Maia e pode trazer outras surpresas que vem sendo preparadas pelo trio.

“É preciso fazer um registro desses shows porque eles têm uma carga emocional muito grande. O repertório é incrivelmente vasto e contamos histórias, relembramos momentos antes de cada canção”, afirma Simoninha.

A mistura de público é a maior riqueza do espetáculo, segundo o artista. “Pessoas que escutavam nossos pais levam seus filhos, que também descobrem as nossas músicas. É uma mistura bacana e muito poderosa”, diz Simoninha.

O FILME DE SIMONAL

Em meio a esse projeto, Simoninha e seu irmão Max de Castro foram premiados pela trilha sonora do longa “Simona – O Filme”, com os atores Fabrício Boliveira no papel do cantor e de Ísis Valverde como Tereza Pugliesi. “Eu e meu irmão fizemos a trilha com um trabalho em conjunto com o diretor, Leonardo Rodrigues. Foi muito contribuir para o resultado final do filme, e ainda fomos premiados. Isso é muito importante”, diz Simoninha.

O diretor Leonardo Domingues foi o finalizador do “Simonal – Ninguém sabe o duro que dei” (2009), que lembrou como Simonal saiu de cena como grande artista após ser acusado de ser apoiador do período de regime militar.

O longa vai colocar em foco a carreira meteórica de Simonal, que foi descoberto pelo produtor Carlos Imperial.

Fonte: Folha de São Paulo

   

Voltar